Mitos e verdades: o que realmente ajuda a emagrecer

Mitos e verdades: o que realmente ajuda a emagrecer

Emagrecer 2 (ou seriam 3?) quilinhos é um desejo que está sempre rondando a cabeça de boa parte das mulheres, mesmo quando o excesso de peso parece ilusão de ótica para quem vê de fora. Vai dizer que você não conhece alguém que vive apelando para tudo que possa fazer efeito, da dieta que resolveu a vida da amiga ao truque que fez a amiga da amiga virar um palito?!? Mas nem tudo o que se escuta por aí funciona. Analisamos táticas de emagrecimento que prometem fazer mágica e vimos que muitos feitiços podem se voltar contra o culote da feiticeira. Aprenda a usar os que fazem diferença.

O que ajuda a emagrecer rápido

Mitos e verdades: o que realmente ajuda a emagrecer

1. BEBER ÁGUA AJUDA A EMAGRECER?

Sim! Como a água melhora o funcionamento do intestino, do fígado e dos rins, contribui para que as toxinas do corpo sejam eliminadas. Quando isso não acontece, acumulamos gordura mais facilmente. Já a falta de água pode deixar o intestino preso e a barriga inchada. E quem não toma água acaba matando a sede com líquidos mais calóricos. O hábito tem ainda uma vantagem psicológica: beber água ocupa a boca e o estômago e distrai da vontade de comer por ansiedade.

2 A DIETA DA PROTEÍNA FUNCIONA?

Sim! Dietas que restringem os carboidratos e aumentam o consumo de proteínas e gorduras dão resultado rápido, mas têm de ser usadas com moderação. Os carboidratos são as principais fontes de glicose, o combustível do corpo. Sem ela o organismo usa um combustível alternativo, o chamado corpo cetônico, feito de gordura corporal. No entanto, se o regime é usado por muito tempo (mais de uma semana seguida ou várias vezes ao longo dos meses), surgem sintomas como irritação, cansaço, baixa da imunidade e até um bafo insuportável. E há o risco de engordar de novo depois de abandonar a dieta. É que, com medo de ficar sem carboidratos outra vez, o corpo pode decidir estocá-los em maior quantidade.

3. PIMENTA, GENGIBRE E CHÁ VERDE QUEIMAM CALORIAS?

Sim e não. Para digerir qualquer comida, o corpo gasta calorias – em média 15% do que consumimos por dia é queimado na digestão. Pimenta, gengibre e chá verde pertencem à classe dos alimentos termogênicos, que exigem que o organismo gaste mais calorias do que os outros na hora de processá-los. Mas alimentos com calorias negativas, que queimam mais do que valem, só existem nos nossos sonhos. Outra vantagem do chá verde é o efeito diurético, que ajuda a eliminar toxinas e desinchar.

Conheça 10 alimentos que ajudam a emagrecer

4. EXCESSO DE SAL LEVA AO AUMENTO DE PESO?

Sim! O sal é composto de sódio, que não tem calorias, portanto não engorda. Mas ele facilita a retenção de líquidos. Ou seja, faz você inchar. Ao entrar nas células, as moléculas de sal atraem a água, o que leva o volume de sangue a aumentar. Nos tecidos corporais ocorre o mesmo – onde tem sal, a água é retida. Mas para evitar isso não adianta cortar o sal da salada. O problema maior é o sal de alimentos processados industrialmente. Por exemplo: 100 gramas de macarrão instantâneo têm 1 516 miligramas de sódio, contra 7 do macarrão integral.

5. TOMAR ÁGUA MORNA COM LIMÃO DE MANHÃ, EM JEJUM, EMAGRECE?

Não! Essa ideia não tem embasamento científico. Está provavelmente ligada à crença de que alimentos ácidos queimam gordura (o que não é verdade) e de que o corpo gasta calorias para esfriar um alimento quente ou morno (o que é real, porém insignificante para fazer emagrecer). Mas o hábito não faz mal – a menos que a pessoa tenha gastrite! O limão é rico em vitamina C e tem baixo teor calórico. E água, morna ou fria, deve ser tomada o dia todo.

Leia – Dieta da água com limão para perder peso

6. ABACAXI “DERRETE” A GORDURA?

Não! Aceite esta triste realidade: nenhum alimento consegue “derreter” gordura. O abacaxi tem bromelina, uma enzima que ajuda a digerir gorduras e proteínas. É ótimo para tirar a sensação de que comemos demais, mas não queima pneuzinhos.

7. EVITAR O JANTAR OU FAZER JEJUM AJUDA A PERDER PESO?

Não! Quem quer emagrecer deve evitar ao máximo pular refeições. Parece contraditório, mas, quando comemos, damos permissão ao corpo para gastar energia. Privado de comida, ele reprograma seu metabolismo para funcionar devagar, gastar menos energia e acumular bastante gordura assim que a comida reaparecer.

Exercícios em jejum: riscos e benefícios

8. COMER CARBOIDRATO DEPOIS DAS 18 HORAS ENGORDA?

Sim e não. O que faz engordar, no fim das contas, é o consumo em excesso, independentemente do momento em que é ingerido. À noite, o metabolismo do corpo é mesmo mais lento, mas isso não prova nada sobre a relação entre a hora em que se come e a quantidade de gordura que se estoca. Os carboidratos são a nossa principal fonte de energia. Quem mantém uma dieta equilibrada e faz exercícios físicos, quando janta seu carboidrato querido, só está repondo as calorias gastas ao longo do dia. O problema é comer à noite sem ter gasto energia suficiente antes…

9. COMER DE 3 EM 3 HORAS AJUDA A EMAGRECER?

Sim e não. Comer acelera o metabolismo (o corpo “malha” para fazer a digestão), por isso é interessante se alimentar em pequenas porções várias vezes ao dia. Para quem é compulsiva, o hábito também evita que a pessoa chegue à mesa com muita fome – e coma mais do que deve. Mas é preciso cuidado para que o efeito não seja o contrário do desejado. É mais difícil fazer seis refeições controladas do que três, certo? E lanchinhos, mesmo que saudáveis, podem ser bastante calóricos. O importante é fazer as três principais refeições – café da manhã, almoço e jantar. Se sentir fome entre elas, coma uma fruta (ou duas!).

10. DORMIR MAL FAZ GANHAR PESO?

Sim! Noites maldormidas desregulam a produção de melatonina, hormônio que nos ajuda a adormecer. A falta dele faz diminuir a leptina, hormônio responsável pela sensação de saciedade, e aumentar a grelina, substância que nos desperta a fome. Faz ainda diminuir a liberação de serotonina, um neurotransmissor ligado ao bom humor e ao prazer. Ao sentir falta da serotonina, nosso cérebro nos sugere “açúcar, açúcar, açúcar!” para repor as energias e compensar nossa necessidade de prazer. O raciocínio é o seguinte: se não posso ser feliz dormindo, serei feliz comendo um chocolate. A falta de sono também pode estar ligada ao estresse. E pessoas estressadas liberam mais cortisol, hormônio que nos ajuda a reagir diante dos perrengues da vida – mas que também nos faz engordar.

11. CUMPRINDO À RISCA A DIETA DURANTE A SEMANA, DÁ PARA LIBERAR GERAL NO FIM DE SEMANA?

Não! Tendência para engordar, infelizmente, não tira férias. Se você quer mesmo emagrecer, pode dar no máximo uma rápida chutada no balde, em uma proporção de mais ou menos 9 para 1. Ou seja: nove refeições planejadas para uma feita sem preocupação com calorias. Mas isso não equivale a um fim de semana inteiro enfiando o pé na jaca…

12. COMER SÓ ALIMENTOS DIET E LIGHT EMAGRECE?

Não! Os alimentos diet não têm necessariamente menos calorias. Eles são voltados para quem possui restrição alimentar devido a algum problema de saúde. O chocolate diet, por exemplo, não tem açúcar, mas contém mais gordura. Já os alimentos light têm no mínimo 25% menos calorias do que os produtos tradicionais. Porém, se você consumi-los em grande quantidade, também vai engordar. Alguns pesquisadores acreditam que alimentos com adoçante acabem funcionando como sabotadores da dieta. É que, quando a nossa língua tem contato com algo doce, o cérebro entende: “Opa, está vindo uma enxurrada calórica!” Só que as calorias não chegam. Então o cérebro, na fissura por glicose, pede mais comida.

13. SALADA É A REFEIÇÃO IDEAL PARA QUEM ESTÁ DE REGIME? 

Sim e não. Almoçar só folhas, ficar com fome meia hora depois e cair de boca no doce não leva ninguém ao caminho da magreza. Uma salada só é uma boa refeição se tiver fontes de carboidrato (beterraba, cenoura, inhame, batata-baroa) e de proteínas (castanhas, nozes, sementes de girassol, ovo cozido, queijo branco). Para temperar, estão permitidos um fio de azeite – gordura do bem! –, vinagre, limão, pimenta e ervas. Mas cuidado com os alimentos que boicotam a dieta: molhos gordurosos, batata palha, queijos amarelos e tomate seco bombam o prato de calorias. E linhaça deve ser ingerida com moderação (100 gramas têm quase 500 calorias!).

14. TROCAR O ARROZ BRANCO PELO INTEGRAL VALE A PENA?

Sim! Duas colheres de arroz integral têm 65 calorias. A mesma quantidade de arroz branco tem 62. Mesmo assim a troca é vantajosa porque quem come arroz integral demora mais a sentir fome novamente. Ele contém fibras que auxiliam no funcionamento do intestino, retardam a absorção de açúcares e gorduras e ajudam a controlar o colesterol. E ainda evita o acúmulo de gordura na região abdominal! É que a glicose que vem de grãos refinados, processada mais rapidamente pelo corpo, tende a parar ali. Já a glicose que vem de carboidratos integrais, processada mais lentamente, vai sendo utilizada enquanto é liberada, por isso
se acumula menos.

15. CORTAR OS DOCES É A MELHOR (E A MAIS RÁPIDA) FORMA DE EMAGRECER?

Sim. Comer açúcar – veja que loucura! – aumenta a fome. Funciona assim: o corpo desmembra os alimentos que ingerimos em busca de glicose. Quando ela está presente em altos níveis no sangue, não sentimos fome. Se vai baixando, a vontade de comer reaparece. A questão é que a glicose dos doces chega praticamente pronta ao organismo e é 100% metabolizada em apenas 15 minutos. Resultado: os doces saciam por poucos instantes – a glicose logo despenca, e a fome volta com tudo. Se não conseguir cortá-los, coma-os depois de alimentos integrais ou fibrosos, que são processados mais lentamente. Assim você evita o efeito rebote.

16. É MELHOR COMER ALIMENTOS CRUS DO QUE COZIDOS?

Sim! Alimentos crus precisam ser mastigados mais vezes antes de ser ingeridos, o que é bom. Ao se satisfazer, o corpo demora 20 minutos para avisar ao cérebro que não é preciso mais comida. Mastigando mais, você ganha tempo para entender qual é a hora de parar.

17.CERVEJA DÁ BARRIGA?

Sim e não. No fundo, o problema é a quantidade. A cerveja é uma das bebidas alcoólicas menos calóricas – uma latinha tem cerca de 130 calorias. Se você se contentasse com um copo só, não haveria problema. Mas não é o que acontece… Além disso, ela costuma vir junto com um tira-gosto gorduroso. Essa bomba calórica de álcool (que fornece glicose “pronta”, metabolizada rapidamente), sal e gordura faz o corpo engordar e inchar.

18. REFRIGERANTE DÁ CELULITE?

Sim e não. O refrigerante em si não causa os temíveis furinhos na pele, mas contribui para que você engorde. E engordar facilita o aparecimento de celulite, também relacionada ao sedentarismo e a fatores genéticos. Mesmo o refri zero (sem açúcar) pode ser um problema. Há suspeitas de que ele engorde por conter gás carbônico (presente também no refrigerante normal, capaz de dilatar o tamanho do estômago) e sódio (que provoca retenção líquida)

Fonte: Gloss

Sobre Eduardo Brandão Secco